15/09/2013

infinito crepuscular

restou o vapor de seus cabelos
negros
nos cantos da lembrança

na casa toda branca
não há mais nenhum deles
formando curvas, retas, vogais

o lume do dia se esvai
e não sei se é melhor ou pior
não lembrar mais do seu perfume

4 comentários:

  1. Oi Fábio,

    Só hoje descobri este seu blog, além de "A Magia da Poesia". Gostei do blog e aproveitei e conheci o antigo.

    Gostei em especial deste poema.

    Um forte abraço,

    J.

    ResponderExcluir
  2. acho q lembrar é tão doloroso.. bjoss!

    ResponderExcluir