25/12/2015

o novo e antigo futuro do amor

tem gente demais
no tinder
no colégio
no facebook
no trabalho
na boate
no omegle
no metrô
na puta que pariu
para ter paz numa relação

gente
não

eu
não
confiável

converso com quinze
ela com dezesseis
nos celulares com senha
nenhum de cada vez

então
brota
a paz:

a prostituta
(a prostituta que não consegue trabalhar quando se apaixona)
(a prostituta sem jogos)
(a prostituta que marca e vem)

desligamos os celulares

eu não a engano
nem ela a mim

somos transparentes
totalmente sinceros

nos tocamos
ganhamos o que queremos
nos despedimos

sem a menor possibilidade de
obrigações
construções
decepções
complicações

eis o futuro das relações

6 comentários:

  1. Hahaha MR. Catra é o pastor e nada falatará

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Fábio! Isso foi fruto de uma desilusão?
    Entendo totalmente a conturbação Pós-moderniana, não precisamos ser ultrarromânticos, mas um pouco de esperança ainda cabe.
    Bom pra quem já se decepcionou, sofreu ou quase morreu de amor, por amor ou em amor.

    Bem, o que importa mesmo é sermos felizes, certo?
    Talvez esse movimento contemporâneo seja o da ressignificação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alyne, acho que é bem isso, repensar tudo e ressignificar. Porque tá tudo mudando e talvez não seja para melhor. ;)

      Excluir
  3. ZARAMINKO21/1/16

    Muito, muito legal! Moderno e verdadeiro.

    ResponderExcluir