Minha foto

Poeta nascido no Rio de Janeiro. Considerado um dos poetas brasileiros mais representativos da década de 2000 na antologia Roteiro da Poesia Brasileira (Global, 2009), é autor de vários livros publicados gratuitamente em seu blog, cujos melhores poemas foram reunidos em Corte (Ibis Libris, 2004) e rio raso (Patuá, 2014). Mantém o bem sucedido site “A Magia da Poesia”, que teve mais de um milhão de acessos em 2012, onde divulga a obra de grandes poetas. Seus poemas já foram selecionados para livros escolares, traduzidos para o russo e publicados em diversas revistas literárias.  (saiba +)

31/10/2014

arde a tarde

vício de sacrifício
a perna tremendo sem frio
tic nervoso
tac nervoso
relógio ansioso pra outro fim de semana vazio

ah, o cheiro
do cheio
que não chega

30/10/2014

funcionário

o mundo não funciona:
mas somos funcionários
(públicos na privada)

mudaram as linhas dos ônibus 8, 77 e 666:
a partir da semana vindoura
devem chegar 5 minutos mais cedo
afim de que cheguemos mais cedo pro café
e para nada fazer de útil por 4 horas antes do almoço
assim como nas 3 horas após o almoço
então saindo no mesmo horário previamente estabelecido
na resolução XPTO21 deste mesmo ano

mudou a excelentíssima presidência
logo
a diretoria mudou
e a nova diretoria
mudou as pessoas nos departamentos
e criou novas metas

os departamentos
mudaram de nomes
mudaram de siglas

DEJAT virou DECAT
DECRET virou DERJUP
DESTIN virou DEDAO

agora ninguém sabe
se mudar de sigla era parte do projeto de metas
ou se mudar de metas alteraria as mudanças de siglas

e assim seguimos mudando
(nada)

29/10/2014

a tempo

o tempo que me encurva
que me turva dentes
que me sangra gengivas
que me dói joelhos
que me engorda

esse tempo
esse mesmo tempo
é que devo gastar
esperando
a felicidade?

27/10/2014

vento na vela

ando debaixo da nuvenzinha branca

ao meu lado a grama
ao lado dela o azul

vamos no mesmo ritmo
porque venta

nem eu sustento ela
nem ela me sustenta

vamos pro mesmo lado

digam norte
digam sul

vamos pro mesmo lado:

lugar nenhum

to tinder or not to tinder

um amigo sorridente veio afobado
me contar que achou no tinder nossa amiga
- mas você não tinha casado?
- hmmm minha conta é antiga

privada: funcionalismo público em ciranda

o assistente é amigo do presidente
que finge ser amigo do assessor
que finge ser amigo da estagiária
que finge ser amiga do diretor
que por nada fingir perdeu o cargo

24/10/2014

tiro no escuro

olho o quadro do muro:
um muro no quadro
com um quadro pendurado

21/10/2014

flores secas

o fogo por trás das montanhas
adivinhamos pelo olho do sapo
pelo grito da maritaca

fingindo não saber
batemos ponto
e banhamos calçadas
com nossa futura sede

sob um céu negro
pleno meio dia
bebemos coca-cola
com sabor de alegria

19/10/2014

minha vó fazendo 90 anos

o presente dela:
meu passado doce
(a ponto de até hoje
me adoçar futuros
com aquela mesma receita:
lembrança, amor e letra)

13/10/2014

perder-se

minha poesia está em greve:
escreve
sem dizer

minha poesia faz piquete:
deságua num bilhete
que depois vou perder

minha poesia
silencia
o mundo todo
eu e você

09/10/2014

sem esperança, sem medo

teias entre prédios tortos

transportes que atrasam
trações entregues a traçados inúteis

trôpego
o traço do silêncio adentra o trote cego:

ninguém vai
ninguém vem

07/10/2014

04/10/2014

manoelizando infâncias

podem me tirar o olhar bom
a verde idade
até mesmo a verdade...

mas meu quintal maior que o mundo
eu carrego sempre comigo

03/10/2014

no meio do caminho

o verso de bukowski no meio do caminho:
"enquanto eu masturbava uma tiete"

meu avô consertou o telhado
(batidas decididas no martelo)
nunca escreveu nada
nunca complicou nada
aguentou cinquenta anos no trabalho
construiu casa
constituiu família
se aposentou
"enquanto eu masturbava uma tiete"

as pessoas no escritório
cinco dias na semana esperando o final de semana
onze meses esperando o mês das férias
cinquenta anos esperando os poucos anos de aposentadoria
(esperando no escritório, acreditando no "tem que ser assim")
sorriram e calaram e seguiram
seguiram e calaram e sorriram
seguiram firmes e caladas em suas baias sorridentes
"enquanto eu masturbava uma tiete"
e pirava

quatro ou cinco anos de provas, xerox e decorebas
atrás de diplomas dourados com louvor
todos preocupados com o mercado de trabalho
com o mercado de engenheiros elétricos
com o mercado de ações
com o mercado dos professores de filosofia
com o MEC
todos preocupados com o futuro
"enquanto eu masturbava uma tiete"
e largava tudo

segundo grau, cheio de espinhas, cabelos caindo
estudando que nem um babaca
os outros alunos curtindo, brincando, fodendo
"enquanto eu masturbava uma tiete"
apenas na imaginação
fechando as minhas retinas fatigadas

02/10/2014

me_nina

se um dia eu soube
desaprendi

agora ela aprende a cozinhar com a vó
e me ensina amor

antes de todas as chacinas
seu peito puro me alimenta

me relembra menos muros
alentos de flores
mais ar

e esperamos ambos futuros
onisorrindo pro celular