28/05/2013

começo no fim

me perco

os sinos de tua voz
(que me ouve)
não me definem mais

sonares de morcegos escuros
traçam silêncio
em telas vazias

ronco de motores partindo
ruas engarrafadas de pessoas simples
sinais verdes

elefantes, sempre elefantes
dançando
e sorrindo

Um comentário:

  1. Poesia x música, música x poesia. Escolha perfeita.

    ResponderExcluir