21/04/2018

19

Quando você transa com alguém com quem há muita química e que faz sexo com muita vontade, seu próprio desempenho também melhora. E isso é algo natural e instintivo, não se aprende em cursos ou com a idade e experiência.

Depois de uma sequência maior de mulheres que fazem sexo como quem toma sol na praia, uma mulher ativa, criativa, em sintonia com você e que saiba se mexer direito é como um bálsamo. Não dá tempo de pedir, ela já está fazendo, com vontade explodindo nos olhos. Você já está agindo também e toda a arte da coisa lembra uma dança sem nenhum ensaio. Sem preocupação com desempenho. Sem antes nem depois.

Ainda sinto a energia radiante de nossos olhos quando ela tirou a camiseta e o sutiã sem nenhuma palavra. Nem minha, nem dela.

19/04/2018

ker tc?

ela me curtiu o face
eu mandei letras sobre sua face
ela chama no whatsapp
eu compro passagem no chrome
e postaremos fotos juntos
até que a net nos separe

lá doce lá

a casa se forma na calma
o epicentro é dentro da cozinha
e o alimento na cama

06/04/2018

e os militares dando declarações no jornal nacional

óleo da noite são paulo asfalto
ar falta e sobra propaganda
sobra pressa e pessoas movidas pela moeda
pelo status pelo poder pelo elogio pela vitória
(eu igual e separado)

parado com lombalgia
escolho um filme brasileiro ruim
música ruim roteiro ruim direção ruim
e fico nele
sem ter filhos

quatrocentos canais mas fico nele

pior é o amor romântico

05/04/2018

nenhuma palavra toca nem de leve seu perfume no ombro direito da minha camisa (real)

acordei de um sonho lúdico
em que eu esculpia
meu poema último numa escada
as pessoas elogiavam desciam subiam
enquanto eu - desconhecido - chorava

(porque em sonhos consigo chorar)

29/03/2018

eu além de seus pais

de fora
das repetições de minhas histórias
ando leve
e olho a lua

estranho a fila de musas inventadas
que perderam os nós felizes para sempre
por buscar minha carteira assinada

eu
o mesmo eu
antes durante depois
e além do tempo

27/03/2018

des_peço

borboletas amarelas cruzam a solidez
dos ecos de meus problemas mesmos

conjunturas irmãs da mesma textura:
de textos
de nuvens
de aço

(apenas espaço)

23/03/2018

desculpe mas eu tenho que fazer uma obra-prima

enquanto mastigo meus próprios dentes
e a lombalgia dura antes durante e depois
busco algo fora pra me ocupar

porque ocupado não sinto a baleia respirando sob a lua
no mar que toca e é
que sou
que somos

porque ocupado fecho o vidro do carro
para o eu que me pede - pare
e sigo o curso do padrão estável
dentro dos meus muros
e dos muros que ergo pra proteger os meus

porque ocupado culpo o cupido
ou me distraio correndo pra próxima
e a próxima
e a próxima
ouvindo a música de amor
ou vendo o filme romântico
pra me distrair da anterior

porque ocupado o capeta
ocupa a mente vazia
e com foco na muleta
deixo a louça na pia
e cuspo no prato que se erguia na sombra da letra

porque ocupado
em procurar culpados externos
meu externo se comprime
e me faço no compasso de panos quentes
e uma lista enorme de desistências
e fracassos

ocupado
dentro de meus dentes moles agora quebrados
enquanto mastigo meus próprios crentes
e a lombalgia dura antes
durante
e depois

moana (ou da criança que cria histórias)

você não é
o vazio herdado
nem o peito apertado
por buscar errado
tantas e tantas e tantas
flores