11/07/2018

palavras no silêncio

a estátua está bem
a estátua está calma
a estátua está relaxada
a estátua me olha de olhos fechados
a estátua não compara
a estátua está totalmente despreocupada
a estátua não deseja nem não desejar
a estátua repousa sobre um indizível maior
a estátua quase sorri

o espaço cintila pirilampos inexplicáveis
pequenos pontos de luz quase instantâneos

a estátua sabe
eu tento saber menos
mas insisto em racionalizar:
eu e você somos o mesmo - a estátua

08/07/2018

belo belo

a soma dos silêncios das mulheres que amei
me fazem escrever essas linhas

a soma dos silêncios das mulheres que amei
tendem a zero
tendem ao infinito

a soma dos silêncios das mulheres que amei
deixam o vício da memória
relaxar inícios

videogame da vida

nascemos e morremos como filhos
nascemos e morremos como pais
nascemos e morremos como nomes
nascemos e morremos sem perceber
o que se mantém forte
além de vida e morte

janelas de trens imaginários

as mãos ligadas ao teclado:
sequência de letras
dizendo o que a boca não fala
por olhos que só veem
telas

28/06/2018

tudo bem

já nem tento

tv: copa, galvão, os bonecos de recife e o olodum
beleza mas não brilha

anúncio:
muito antiga a ideia
de fazer um empréstimo pessoal
para comprar a felicidade que vendem

anuncio
a canção no mesmo teclado:
"é impossível ser feliz sozinho"
"é impossível ser feliz sozinho"
"é impossível ser feliz sozinho"
"é impossível ser feliz sozinho"
"é impossível ser feliz sozinho"

karaokê:
a menina com a boca quase na minha cantando
o corpo grudado no meu
menina linda e tal
eu canto e vou embora sem sal
ela agradece

(mas uma parte minha ainda acha que perdeu alguma coisa)

26/06/2018

às 5:30 da manhã

às 5:30 da manhã
luzes acendem e apagam no prédio adiante
árvore de natal gigante
fora de época
câmera lenta

às 5:30 da manhã
antes da mente nos contar quem somos
um céu brilhante entra em perfume
no espaço completo
que não espantamos com sons