16/12/2020

e ela goza

reverencio a lânguida presença
certa
e sem meta romântica

mimo

a nudez sem medo
a palavra sem métrica
o ventre molhado

aprecio os seios pequenos
com gosto na boca
um pouco amenizar a vida dura

o mínimo de luz
em duas vidas escuras
dentre filmes dublados

desprogramo o amor que não vem
que não veio
que me feio
que desmarca
que amarga outros inícios e quedas e farpas de futuros que não chegam

duro

AGORA

simplifico o que não edifico
mas se solidifica
em solidariedade:


não sou sério


estou velho


e ela gosta

reinfância

manoel existe
enquanto houver
o simples

por exemplo:
a lua da minha rua
é mais pura

congregar (tradição da trunca)

a poesia de luta
não se apaga

os palhaços comunistas
ainda fazem sorrir

ainda botam flores
no cano das espingardas

ainda acendem o sorriso
no simples da criança

08/12/2020

bauman dado 2

o homem sem vínculos
tem vícios

velocidade de
escolher
conversar
gozar
e bloquear

o homem todo velocidade
não sabe onde chegar

06/12/2020

areia fina nas mãos cansadas

noto visitando amigos antigos
que os poetas vão parando de escrever

como se a vida (besta)
fosse sem recompensa pra letra

como se a vida pouca
fosse vencida
pela pressa

como se a voz
rouca
desistisse de dizer
perante o mundo enorme
mundo duro e surdo
cada vez mais certo

breve olhar sobre nossa história

agora que a periferia
virou poesia
a nação criou a taxação de livros

04/12/2020

michael scott

pausa de palavras 
num dia perfeito
onde nada dói

não importa o prefeito

felicidade se constrói