Minha foto

Poeta nascido no Rio de Janeiro. Considerado um dos poetas brasileiros mais representativos da década de 2000 na antologia Roteiro da Poesia Brasileira (Global, 2009), é autor de vários livros publicados gratuitamente em seu blog, cujos melhores poemas foram reunidos em Corte (Ibis Libris, 2004) e rio raso (Patuá, 2014). Mantém o bem sucedido site “A Magia da Poesia”, que teve mais de um milhão de acessos em 2012, onde divulga a obra de grandes poetas. Seus poemas já foram selecionados para livros escolares, traduzidos para o russo e publicados em diversas revistas literárias.  (saiba +)

01/07/2017

que essas gaivotas possam voltar em vidas humanas preciosas

temos ajuda
mas em essência
nascemos sozinhos
morremos sozinhos
e nos iluminamos sozinhos

numa realidade ainda mais real
nunca nascemos
nunca morremos
estivemos sempre iluminados
e nunca sozinhos

olho as nuvens
e as gaivotas
no mar da janela

a mente dança conceitos
observações
poemas
dizeres
dores
afazeres
amores
mas o observador segue sem dançar

aí está:
observar o observador
com estabilidade e paciência
além de dentro e fora
além de tempo e espaço
além de existência e inexistência

Um comentário:

  1. para sempre,
    sempre fora,
    fora pra sempre alguém que ora,
    e olhando se enamora
    da gaivota que lá fora
    olhando o por do sol, devora
    cada ave que voa, por ora,
    Adora.
    voa sozinha, mas é apenas o reflexo da solidão
    que não estar sozinho é o destino de toda ave que deixa seu ninho.
    estar aqui agora,
    estar dentro e fora.
    Évora
    é longe, é distante, existe.
    Consiste em alguém que resiste,
    Observa a gaivota que voa,
    Observa e é você,
    Sozinho na janela a contemplar.

    ResponderExcluir